Make your own free website on Tripod.com

VIA AMBIENTAL

Home | Contato | Pequenas Ações | Terceiro Setor | Legislação | Marketing Ambiental
Terceiro Setor

 

O que é o terceiro setor ?
(texto escrito por Rubem César Fernandes e Miguel Darcy Oliveira)
Fonte: Rede de Informações para o terceiro setor

TERCEIRO SETOR
OS RECURSOS DA SOLIDARIEDADE

No Brasil de hoje, a voz dos mais variados grupos sociais se faz ouvir no espaço público. Não há questão de interesse coletivo em relação à qual cidadãos não se mobilizem para cobrar ações do Estado e tomar iniciativas por si mesmos. Este protagonismo dos cidadãos determina uma nova experiência de democracia no quotidiano, um novo padrão de atuação aos governos e novas formas de parceria entre Sociedade Civil, Estado e Mercado.

Generaliza-se na sociedade brasileira a percepção de que o 'público' não se confunde nem se limita ao 'estatal'. Multiplicam-se as iniciativas privadas com fins públicos.
Ampliam-se os recursos e competências necessários para o enfrentamento dos grandes desafios nacionais, como o combate à pobreza e a incorporação dos excluídos aos direitos básicos de cidadania.

No entanto, tudo isto é ainda muito recente e, como toda novidade, questiona velhas idéias e coloca novas questões. Novas realidades requerem novos mecanismos e procedimentos. O surgimento de um Terceiro Setor - não governamental e não lucrativo - redefine o Estado e o Mercado. Por outro lado, o Terceiro Setor também se vê, ele próprio, confrontado ao desafio de qualificar e expandir suas ações de promoção de uma solidariedade eficiente


ESTADO, MERCADO E TERCEIRO SETOR

A emergência do Terceiro Setor no Brasil é um fenômeno das últimas três décadas. Esta mobilização de recursos privados para fins públicos rompe com a tradição inversa e perversa representada pela apropriação privada dos recursos públicos.

Paradoxalmente o fortalecimento da sociedade civil no Brasil se deu no bojo da resistência à ditadura militar. No momento em que o regime autoritário

 

PROFISSIONALIZAÇÃO DA CAPTAÇÃO DE RECURSO
Profissionalização da Captação de Recursos
Luiz Carlos Merege

Em artigo anterior, publicado nesta Revista, tratávamos de chamar a atenção para o novo campo de administração que surge a partir do reconhecimento de que o Terceiro Setor se constitui em uma importante área econômica e de transformação qualitativa de nossa sociedade. Nesta área acadêmica estão surgindo novas oportunidades de especialização profissional dentre as quais destaca-se a captação de recursos.

As organizações do Terceiro Setor são unânimes em afirmar que o principal problema que enfrentam é a falta de recursos para conduzir e ampliar suas atividades. Mas a falta de recursos na organização não significa que não existam recursos disponíveis na sociedade para uma boa causa. Apesar de não termos no Brasil uma legislação para que as pessoas físicas e jurídicas sejam estimuladas a realizar mais doações para as organizações da sociedade civil, existem recursos que poderiam ser mais eficientemente demandados. Um dos exemplos é o que acontece a nível das prefeituras, onde constata-se que há disponibilidade de recursos mas que não são totalmente captados. Um problema apontado por autoridades municipais diz respeito a falta de uma estrutura de prestação de contas nas organizações do Terceiro Setor, o que gera uma timidez dessas organizações frente à exigência dos necessários relatórios gerenciais que explicitam, mensalmente, como o dinheiro público repassado às organizações está sendo utilizado.

Como segundo exemplo, pode-se citar o crescimento do número de empresas que estão dispostas a investir na área social, o que significa um aumento da disponibilidade de recursos, mas que exigem, em contrapartida, uma atitude profissional das organizações do Terceiro Setor, tanto na demonstração do uso dos recursos como também dos resultados sociais alcançados pela sua aplicação. Sem deixar de mencionar o grande universo ainda pouco motivado das pessoas físicas que estão dispostas a ajudar para uma boa causa, mas que não sabem como.

Pesquisas sobre a origem dos recursos das organizações da sociedade civil demonstram que 68 % provem de receitas próprias de atividades por elas desenvolvidas. Este dado demonstra claramente a pouca interrelação das organizações com potenciais doadores externos, quais sejam o setor público, as empresas e as pessoas físicas. O componente governamental da receita das organizações é tão somente 15% no Brasil, e a parcela de contribuição das doações das empresas é de 3%. A contribuição das pessoas físicas também é bastante modesta não passando dos 14%. Os dados podem nos levar a uma interpretação otimista sobre a capacidade das organizações do Terceiro Setor de gerarem recursos próprios no Brasil, tendo em vista que, tanto na Europa como nos Estados Unidos essa capacidade não vai além dos 47%. Mas percebe-se também que o Terceiro Setor no Brasil poderia estar recebendo uma transferência maior de recursos tanto do governo, como das empresas e das famílias. Esta percepção pode ser acompanhada de um questionamento sobre as razões que levam as organizações no Brasil a se apoiarem tanto na geração de recursos próprios. Certamente este é um ponto a favor das organizações brasileiras que desenvolveram as mais criativas formas de geração de receitas, tornando-as menos dependente das doações. A cobrança de mensalidades por serviços prestados, a realização de jantares, sorteios, rifas, quermesses, festas beneficentes, bazares, vendas de produtos, shows estão entre as muitas formas de geração de renda desenvolvidas pelas organizações.

Mas por outro lado indica também que existe uma grande possibilidade de melhorar a captação de recursos naquelas fontes externas representadas pelo governo, pelas empresas e pelos indivíduos.

Felizmente as organizações do Terceiro Setor estão sensíveis a uma mudança na estratégia de captação de recursos. Tem aumentado significativamente a demanda por profissionais especializados em captação que possam conduzir mudanças significativas nas fontes de recursos das organizações. Graças a um programa patrocinado pela Fundação W. K. Kellogg, denominado "construindo pontes entre a teoria e a prática" que reúne anualmente 20 escolas de administração dos Estados Unidos e 10 escolas da América Latina, foi possível criar uma parceria entre a Escola de Captação de Recursos da Universidade de Indiana, o Centro de Estudos do Estado e Sociedade (CEDES) da Argentina e o Centro de Estudos do Terceiro Setor da Fundação Getulio Vargas, para que sejam oferecidos cursos de especialização em captação de recursos. Estes cursos unirão a experiência brasileira e argentina na área, com a longa experiência acumulada pela Escola de Captação da Universidade de Indiana, em um projeto acadêmico inédito de parceria internacional.

Certamente a formação de profissionais especializados na captação de recursos será um importante marco para o fortalecimento do Terceiro Setor no Brasil, uma vez que como procurou-se demonstrar neste artigo, existem amplas possibilidades para melhorar as receitas das organizações desde que as relações entre doadores e as organizações sejam conduzidas com metodologias e técnicas apropriadas que venham a garantir um desenvolvimento pleno, constante e sustentável das organizações.
*Luiz Carlos Merege, 58, é professor titular, doutor pela Maxwell School of Citezenship and Public Affairs da Universidade de Syracuse, coordenador do curso de Administração para Organizações do Terceiro Setor e do Centro de Estudos do Terceiro Setor - CETS da FGV/EAESP. E-mail: merege@fgvsp.br

 

LINKS

ABCR - Associacao Brasileira de Captadores de Recursos - Organização do terceiro setor fundada para promover, desenvolver e regulamentar a atividade de captação de recursos segundo seu código de ética.


Academia de Desenvolvimento Social - O Instituto Academia de Desenvolvimento Social é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1999. Sua missão é fortalecer o terceiro setor através do desenvolvimento da gestão das organizações do mesmo segmento.


Artigos e Entrevistas do Terceiro Setor - Stephen Kanitz - Leia inúmeros artigos sobre cidadania e terceiro setor . A cada mês, são colocados novos artigos.


Filantropia.org - O portal do terceiro setor - as maiores e as melhores entidades do Brasil, aqui você encontra todas as informações e maneiras de ajudar o terceiro setor.


Instituto Fonte - Página que apoia iniciativas de desenvolvimento de organizações do Terceiro Setor através de processos de aprendizagem voltados para praticas sustentáveis de gestão. (BR)


IntegrAção - A Revista Eletrônica do Terceiro Setor


Marketing, Terceiro Setor e Meio Ambiente - Marketing, Terceiro Setor e Meio Ambiente.


Pesquisas sobre o Terceiro Setor do Brasil - Pesquisas e estudos atuais sobre o Terceiro Setor .


Prêmio Bem Eficiente da Kanitz Associados - As melhores entidades do Brasil - Prêmio Bem Eficiente As Entidades do Terceiro Setor Mais Bem Administradas, Patrocinado por Lojas Americanas, Accor, Firmenich,Dibens, Natura,...


RITS - Rede de informações para o terceiro setor.

Terceiro Setor e Marketing Social - O objetivo desta página é trocar informações relacionadas ao terceiro setor ( ONG's - Organizações Não Governamentais ), voltadas ou não para o meio ambiente.